Relatos de Viagem Viver em Flow

Meu primeiro passo para mudar de vida: pedir demissão! #01

Depois de decidir que eu iria sair do meu emprego, iríamos nos desfazer de nossas coisas (menos nossos livros!), juntar nossa grana e ir passar um ano na Europa através de uma bolsa de pesquisa dela, estudando e viajando.. Me deparei logo de cara com um grande desafio: admitir isso em voz alta e pedir demissão do meu emprego!

Os dias que antecederam dar a notícia para a minha chefe foram de muita ansiedade e planos. Passei uns bons momentos olhando sites sobre cursos em Madrid, cidade onde ficaremos em grande parte da nossa Euroestadia, olhando curiosidades, vídeos de viajantes, mapas etc. Gosto muito dessas coisas. Adoro mapas. A viagem na verdade, começou no momento em que decidi: Eu Vou! Mas a espera continuava, porque minha Chefe estava de férias, 30 dias, uma eternidade para quem se encontrasse na minha situação.

Ah! Para não espalhar energia, nós decidimos que não contaríamos sobre nossa viagem para quase ninguém, não antes de ela estar totalmente certa. Então só sabiam os familiares e amigos mais próximos. E para não causar nenhum tipo de estresse, resolvi não contar para ninguém na empresa também. Mas vontade não me faltava. É uma vontade enorme de sair gritando para os ventos sobre o sentimento de liberdade que eu estava sentindo. Ainda mais cruzando todos os dias com pessoas tão quadradas, que tem calafrios só de pensar ou ler em algum texto a palavra instabilidade, ou liberdade, ou até mesmo algo que diga: “saia do conforto”.

Como falei, tomei para mim que será uma fase de crescimento e autoconhecimento. Aos poucos, tudo está se tornando real. Mas ainda faltava o principal: assumir para o mundo! Ou seja, ir de encontro com uma vontade antiga e um desejo inerente de me encontrar, descobrir mais sobre minha essência.

Finalmente a chefe volta, tranquila e aliviada de suas longas férias de trinta dias. Descansou, viajou, e estava de bom humor! Pensei: Vou esperar ela voltar para o ritmo, colocar tudo em dia (seus milhares de emails não lidos) e vou conversar com ela.

Dois dias se passaram e ela marcou uma reunião de alinhamento de equipe comigo. Eu pensei: É agora, Terei minha oportunidade!

Cheguei na sala de reunião, sentei… Não tem como não ficar ansioso e nervoso. Ela percebeu. Me perguntou se estava tudo bem. Eu disse que tinha notícias boas para contar. Ela ficou curiosa, pelo seu olhar percebi que passou pela sua cabeça que poderia ser algo relacionado a demissão, já que a empresa estava passando por uma reestruturação gerencial e vários estavam sendo mandados embora, então é natural que outros procurem novos empregos antes de serem a vez deles. Mas não era o meu caso. Pedi que continuássemos a reunião para alinharmos os trabalhos e que depois eu falaria a novidade.

Eu quero fazer tudo certo, não simplesmente largar tudo e sumir (quer dizer, às vezes isso me passa na cabeça!). Então, depois que foram discutidos todos os projetos em andamento, aquele ar tenso voltou a pairar no ambiente. Até que eu falei: “Tá, chega de enrolar, vou contar, e não tem outra maneira de dizer isso… Eu vou sair da empresa”. Rolou um silêncio siniiiiistro. Depois eu falei que iria entrar em aviso prévio daqui algumas semanas e ainda ficar aquele mês do aviso. Ou seja, ainda havia 2 meses de empresa para que todo mundo pudesse se organizar. Depois expliquei tudo, contei minhas histórias, os porquês. Minha chefe, uma pessoa líder de verdade, e muito amiga, ficou muito feliz pelo meu momento. No meu lugar ela faria a mesma coisa, disse ela. Havia um sentimento de fraternal no ar. Uma coisa muito bonita. Ela super me entendeu, me deu ideias, dicas, contou suas histórias de intercâmbio em outros países, ficamos muito felizes e aquele momento foi único. Me deu força e o entendimento de que talvez eu realmente estivesse indo pelo caminho certo, pois o meu coração estava feliz.

Ao sair da sala, eu não me cabia de tanta felicidade. Uma felicidade pura e ingênua, simples e crua. Eu andava pela empresa com sorriso de orelha a orelha, dava muitos bom dias. As pessoas me estranhavam, algumas talvez até se incomodavam com a minha felicidade,  Um grande peso me saiu das costas. E para não gerar nenhum tipo de stress, resolvemos que ainda não contaríamos nada para ninguém por enquanto. Em breve vai chegar o dia do aviso prévio, e vamos chamar o pessoal junto e eu vou dar a notícia. E quando isso acontecer…

You Might Also Like

4 Comentários

  • Reply
    Luis Pellegrini
    30 de janeiro de 2017 at 11:35

    Danilo, amei seu relato da demissão. Super bem escrito, correto, fluido, e cheio de emoção. Você leva jeito! Vou permanecer no pedaço aguardando novas postagens. O blog tá muito bom. Só falta na abertura uma foto sua de preferência com a carinha metade. Casal jovem sempre dá marketing. E seu nome, onde está sua assinatura? Dê a cara pra bater, amigo. Você pode e merece. Abr

    • Reply
      devirentropia
      30 de janeiro de 2017 at 12:00

      Que honra, Luis, muito obrigado pelos elogios e dicas! Estou trabalhando nisso! Abração!

  • Reply
    Marilia
    30 de março de 2017 at 13:19

    Danilo, eu me emocionei agora. Confesso que com a correria do dia não quis ler seu blog na pressa, em uma tela minúscula de celular. Peguei um café e sentei pra ler seu primeiro texto. E que surpresa a minha…eu sou a chefe que você menciona! Não tem como não voltar no tempo e lembrar daquele dia, lembrar do “silêncio sinistro” (rs) e depois da minha sincera felicidade por vocês.
    Coisas boas terminam para que outras melhores comecem, lembra? E foi exatamente o que a vida te reservou. Viva, aprenda (a teoria da nossa área de mkt e a prática da vida) por que essa experiência vai ser pra sua vida toda e ninguém nunca vai apagá-la ou tirá-la de você.
    Fico feliz em deixar lembranças como essa na sua vida e tenha certeza que aprendi muito com você. E ainda aprendo: sobre como é bonito ter coragem de ser feliz!
    Um beijo enorme! 🙂

    • Reply
      Danilo Lucena
      30 de março de 2017 at 19:57

      Ma, nem sei o que dizer…
      Acredito que mudei, mudamos juntos! Só posso dizer muito obrigado.
      Pela companhia, pelo empurrão, pela força, pela alegria.
      “Coisas boas terminam para que outras melhores comecem”, nunca me esquecerei!
      Ainda vamos conversar e rir muito!
      Um grande beijo!

    Leave a Reply